Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão

Mário de Carvalho

You are here: Home - Uncategorized - Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão


Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão

Quem Disser o Contr rio Porque Tem Raz o Obra Vencedora do Pr mio P E N Clube Portugu s Ensaio Ser escritor O texto ficcional Dilemas enigmas e perplexidades do of cio No vale das contrariedades Nada do que parece O assertivismo um cha

  • Title: Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão
  • Author: Mário de Carvalho
  • ISBN: null
  • Page: 102
  • Format: Paperback
  • Obra Vencedora do Pr mio P.E.N Clube Portugu s Ensaio 2015 Ser escritor O texto ficcional Dilemas, enigmas e perplexidades do of cio No vale das contrariedades Nada do que parece O assertivismo um charlatanismo A valsa dan a se aos pares escrita e leitura, autor e leitor, personagem e ac o, causalidade e verosimilhan a, contar e mostrar, o dentro e o fora, aObra Vencedora do Pr mio P.E.N Clube Portugu s Ensaio 2015 Ser escritor O texto ficcional Dilemas, enigmas e perplexidades do of cio No vale das contrariedades Nada do que parece O assertivismo um charlatanismo A valsa dan a se aos pares escrita e leitura, autor e leitor, personagem e ac o, causalidade e verosimilhan a, contar e mostrar, o dentro e o fora, a superf cie e o fundo O bico de obra do primeiro livro Por onde come ar Com que come ar Com quem come ar A manuten o do interesse N o h regra sem sen o n o h bela sem raz o Ou o oposto Riscos, cautelas e relut ncias.

    • Unlimited [Crime Book] ☆ Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão - by Mário de Carvalho ✓
      102 Mário de Carvalho
    • thumbnail Title: Unlimited [Crime Book] ☆ Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão - by Mário de Carvalho ✓
      Posted by:Mário de Carvalho
      Published :2018-010-08T01:23:07+00:00

    One thought on “Quem Disser o Contrário É Porque Tem Razão

    1. Teresa Proença on said:

      Este ensaio é um excelente livro de estudo para o potencial escritor. Para o simples leitor é muito interessante para recordar obras já lidas, estimulando a vontade de as reler, ou como incentivo a novas leituras. Se me enquadrasse na primeira opção, certamente o classificaria com cinco estrelas; assim, e porque saltei alguns parágrafos muito técnicos, retiro-lhe uma.Quatro conselhos de Mário de Carvalho que aproveitei neste livro:1. Conselho ao futuro escritor"Leia muito, leia por gosto [...]

    2. Paulo Hora on said:

      Exatamente um ano depois, decidi reler este livro para relembrar alguns conceitos e captá-los com os olhos gastos da leitura de muitas linhas (e escrita de algumas) em 2015.É uma obra nada pretensiosa, que poderá ser imensamente útil para escritores e aspirantes a tal, mas também será com grande deleite que os fãs de literatura poderão ler excertos de obras marcantes da nossa história, pois o livro tem vários trechos para exemplificar a mensagem do autor. Além disso tem imensas refer [...]

    3. João on said:

      Excelente! Cheguei ao também excelente Estilística da Língua Portuguesa de Rodrigues Lapa por referência contida neste livro de Mário de Carvalho. Mas enquanto a "Estilística" se debruça sobre a elegância da escrita e o bem escrever, este "Quem Disser o Contrário" é complementar e mais abrangente, aconselhando o candidato a escritor não só sobre o estilo, mas também sobre o começar a escrever, os elementos basilares do romance, o evitar ou superar bloqueios, o procurar inspiração [...]

    4. Márcia Balsas on said:

      Um livro que li como quem vai à escola, cumpre os horários das aulas, e estuda. Com prazer. Deliciei-me com estes ensinamentos em tom leve e divertido, com uma abordagem, por vezes irónica, de temas pertinentes para quem quer, sonha, ou deseja escrever um livro. Ou para todos aqueles que, simplesmente adoram livros, e queiram fazer uma viagem pelo que possa ser a construção de histórias, personagens, escolha de palavras, e caminhos a evitar para chegar, esgotado mas feliz, ao fim. Ao livro [...]

    5. Carolina Guimarães on said:

      Nunca escrevo nos livros. Mas quando comecei a ler a obra mais recente de Mário de Carvalho apercebi-me que ia ser uma espécie de bíblia da escrita, com inúmeras dicas que queria aproveitar, sublinhar e escrevinhar. E por isso este é um dos poucos livros que tenho que está riscado, com notas e muitos sublinhados, porque acho que o vou abrir muitas vezes ao longo dos anos.Claro que isto só pode ser um bom sinal. Este "Quem disser o contrário é que tem razão" é claramente escrito para q [...]

    6. Raquel on said:

      Há a escrita de ficção e a escrita sobre a escrita de ficção. Mário de Carvalho salta dos romances para a escrita dita 'criativa', como se estivesse em frente a uma máquina de escrever a escrever, em lugar de mais um romance, sobre como escreve estes romances, as suas personagens, as histórias mirabolantes, os truques que usa. Um guia bastante prático e totalmente despretensioso que nos prende de capítulo para capítulo.em leiturasmarginais/

    7. Pequete on said:

      Nunca pensei que um livro sobre escrita pudesse ser tão interessante, divertido e difícil de interromper, mesmo para alguém como eu, que não escreve nem tem qualquer intenção de se vir a dedicar a essa atividade. Para além de tudo isto, ainda cheguei ao fim com uma enorme lista de livros e autores para acrescentar à minha wishlist, o que sabe sempre tão bem!

    8. Rui on said:

      Poucos livros me deram tanto prazer ler nos últimos tempos. Trata-se de um livro de conselhos destinado ao aspirante a escritor,com muita graça, muito espírito e grande pedagogia. Mário de Carvalho usa os bons exemplos de escrita dos seus pares, bem como, aponta os perigos que devem ser evitados por quem se propõe dedicar-se à ficção. Divertiram-me as alfinetadas aos cursos de escrita criativa e aos livros a metro.

    9. Pedro on said:

      Sem condescendências, mas não se arvorando em guru, o escritor Mário de Carvalho apresenta-nos este guia prático de escrita de ficção. Começar por dizer que quem quer escrever tem que ler muito, depois que convém ler do melhor que foi e vai sendo escrito na literatura em que se insere. Tudo isto, o autor aconselha e exemplifica com uma proposta séria para que, ao nos propormos escrever, o façamos tão mal como os grandes e não tão bem como os medíocres. Mário de Carvalho não escre [...]

    10. Vítor on said:

      Tendo a ser generoso com os livros de que gosto muito, abundam as 5 estrelas nos meus registos de leitura. O problema é que depois leio livros como este e faz-me falta uma 6.ª estrela. Não se deixem enganar pelo subtítulo, o livro interessará não apenas a quem pense escrever ficção mas a qualquer um que a goste de ler. Mas atenção ao aviso, a vossa lista de intenções de leitura aumentará bastante. Desde logo o que vos faltar do Mário de Carvalho, sem dúvida o melhor escritor portu [...]

    11. Helia Jorge on said:

      Comecei este livro há uns meses com entusiasmo e depois um amigo disse-me "ah isso não é para se ler é para se ir lendo" e eu parei. Recomecei há dois dias e li de uma assentada. Este é um livro para quem queira iniciar-se nas artes da escrita, seja a título profissional ou não. É um verdadeiro tratado sobre a arte de escrever, escalpelizando todos os aspectos envolvidos e dando-nos sempre bons e maus exemplos. É por isso também uma grande viagem à literatura mundial desde os filóso [...]

    12. djamb on said:

      Post completo em folhasdepapel.wordpressQuem disser o contrário é porque tem razão. É neste pressuposto que Mário de Carvalho assenta este guia que ajudará os autores amadores a colocar-se neste espaço tão completo que é a literatura. Estas letras sem tretas não assumem que os conselhos dados são uma verdade absoluta, nem tão pouco afirmam o contrário, pelo que qualquer pessoa que tenha o interesse se seguir por este livro ficará com uma certeza: não há certezas na literatura. Is [...]

    13. Dário Moreira on said:

      Um excelente livro para quem pretende perceber de forma mais aprofundada o que é isto da literatura. Deixa uma mensagem fundamental: devemos escrever. Já existe de tudo, é verdade, o próprio Mário de Carvalho refere-o. Mas a nossa forma de olhar, de sentir, será sempre a nossa. Deixo aqui esta citação, do diálogo de Álvaro de Campos com Alberto Caeiro, que acho maravilhosa e que também se pode encontrar neste livro:"() Toda a coisa que vemos, devemos vê-la sempre pela primeira vez, p [...]

    14. João Pedro Gato on said:

      Não me inclino muito para guias práticos, mas as referências muito elogiosas, praticamente unânimes, que vi sobre este livro, despertaram-me a atenção. E as expectativas conseguiram ser largamente superadas.Começa por ser um guia de escrita de ficção mas consegue ser muito mais do que isso. É, na verdade, um guia que ajuda a apreciar literatura, e que fornece inúmeros exemplos, tirados das grandes obras, que ajudam a perceber o que distingue a literatura enquanto sublime forma de arte [...]

    15. Sofia on said:

      5 da manhã e só não continuo porque os olhos não aguentam abertos. peguei este livro por ter sido brevemente referido numa aula de escrita.Não quero ser escritora, mas gosto de escrever. Até agora está a ser revelador, não o vejo como um guia de "aprender a escrever", para mim está a ser quase o entender do que sinto quando leio.

    16. Ritinha on said:

      É na parte em que se finge de guia prático que falha: tem pouco de guia e ainda menos de prático, com o prejuízo de se mais perderem preciosos insights do autor durante os trechos de suposto guia.A melhor parte é tudo o resto. Das selecções, curiosidades às indicações, sempre acompanhadas de uma espirituosidade tão particular que faz da leitura um deleite.

    17. Guilherme Trindade on said:

      Bom para pensarmos na nossa escrita, como geralmente é quando nos expomos a qualquer pensamento sobre um assunto. Adicionou pouco ao tópico, mas parece-me um bom ponto de partida.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *